Um guia científico para o primeiro encontro

O primeiro encontro é sempre complicado. Ao mesmo tempo em que tentamos causar uma boa impressão, temos de descobrir o que a outra pessoa está pensando ou como reage às nossas investidas para ver se vale a pena continuar a história. Nesses momentos, nem sempre é possível ser objetivo. Mas o site Lifehacker reuniu algumas dicas científicas que vão ajudar você a encarar essa primeira conversa com sucesso. Confira.

Dicas para o primeiro encontro

 

Mantenha o papo interessante e arrisque-se nas perguntas

A conversa do primeiro encontro precisa ser equilibrada, já que você precisa aprender mais sobre seu par e, ao mesmo tempo, impressioná-lo. Um estudo da Personality and Individual Differences revelou que piadas e assuntos ensaiados têm um efeito negativo nessa hora, e recomenda que você recorra a temas mais leves, como os culturais ou esportivos, no lugar de outros mais formais, por exemplo finanças pessoais.

Para saber mais sobre a pessoa, evite perguntas sérias como “o que você faz?” ou “onde estudou?”, já que não são nada românticas. O economista comportamental Dan Ariely recomenda partir para questões que revelem a personalidade da pessoa, mesmo que sejam arriscadas. Um exemplo é “quantas parceiras ou namoradas você já teve?”. A ideia é evitar ao máximo os estereótipos e a dominância do papo, tornando-o mais animado.

Olho no olho na medida certa

Um recente estudo publicado na Psychological Science revela que manter o contato visual por muito tempo pode transmitir uma ideia de confronto. Por isso, o jornal The Wall Street Journal sugere que um total de 7 a 10 segundos de olho no olho de cada vez é suficiente para demonstrar interesse e mostrar que você é uma pessoa segura de si mesma. Não abuse do recurso.

Imite o seu par (mas não exagere)

Mimetizar as expressões, o comportamento e os gestos da outra pessoa é um sinal inconsciente de afeto. Em um estudo publicado na revista Social Influence, pesquisadores descobriram que os homens gostavam mais de mulheres que agiam de forma parecida a eles. E isso pode ocorrer tanto no âmbito dos movimentos corporais quanto da fala.

Domine sua linguagem corporal

Tente compreender melhor a linguagem corporal para não emitir sinais negativos. Em um relatório do Journal of Experimental Social Psychology, recomenda-se que você seja comedido nos seus movimentos físicos. Como a pessoa é, em teoria, uma “estranha”, seja econômico nos gestos, faça movimentos lentos. E conforme surja intimidade entre vocês, sinta-se à vontade para agir mais rápido e animadamente. Outra observação importante é que os homens devem evitar a postura de “macho dominante”, assim como gabar-se do que são ou possuem, por exemplo do carro novo, e as mulheres precisam combater posturas distantes e esnobes.

Seja direto quanto aos seus planos

Evite dar indiretas para pescar respostas. Se quiser chamar a pessoa para tomar algo em outro lugar ou marcar um novo encontro, simplesmente faça as propostas de forma direta. Segundo uma análise da Personality and Individual Differences, as pessoas são mais receptivas a perguntas diretas como “podemos sair novamente na próxima terça?”.

Depois de todos esses conselhos, o portal Lifehacker também lembra detalhes importantes: não beba demais, vista-se de forma interessante e não dê muita importância para primeiras impressões.